Estresse em cães - 8 sinais - Vitale - Centro Médico Veterinário

Estresse em cães – 8 sinais

Irritação e ansiedade estão entre os principais sintomas de estresse em cães. A redução de alguns sinais pode ser feita sem problemas, com algumas mudanças de hábitos. No entanto, para um tratamento efetivo, de maneira que acalme o animal, é preciso identificar a causa do comportamento.

Aprenda agora quais sãos os 8 principais sintomas de estresse em cães e saiba o que deve fazer assim que os identificar.


Estresse em cães

Ter um cachorro estressado é mais comum do que se imagina. A vida moderna faz com que a maioria das pessoas lute contra o tempo para cumprir tudo que se propuseram a fazer. Em alguns momentos, há falhas. Entre as mais comuns estão: não dar a atenção devida ao bichinho de estimação, o que pode afetar negativamente a vida do animal.

A partir do momento que não há gasto de energia, o estresse vai crescendo mais e mais, até a um ponto que é possível observar comportamentos destrutivos. No entanto, a falta de brincadeiras e passeios por parte dos tutores não são as únicas causas.

Alguns fatores que geram incomodo são banhos (para aqueles que não gostam de sair de casa, ou ir pra pet shops, ou tem medo do local ou outros animais maiores ec), desconforto com visitas, aversão a tomar remédio (nenhum deles gosta disso, com ou em stress), medo, espaço pequeno e inadequado para o porte.

estresse em cães

8 sintomas de estresse em cães


1. Estereotipias

As estereotipias são comportamento repetitivos adotado sem qualquer objetivo. Os mais comuns são lamber incessantemente a pata, mordidas na calda, choro e latido. Os dois primeiros exemplos são sensacionais e pode gerar lesão compulsiva, sangrar, criar fibroses, alguns chegam a ter que amputar a cauda por machucar demais e entnder que a cauda não pertence mais a ele de tanto que fica dolorido de tanto morder… mais morde mais dói e vira um ciclo)


2. Linguagem corporal

Observe se o cão está muito acuado ou fica com muita frequência com as orelhas abaixadas. A linguagem corporal sempre será a primeira a indicar que algo está errado. Além disso, é importante observar a rigidez muscular e a tensão diante, tremores, olhos arregalados de algumas situações.

3. Ofegar em excesso é um dos sintomas de estresse em cães

Os cachorros ficam ofegantes quando estão eliminando o calor do corpo. Caso você veja que está ofegando em momentos que não deveria, muito provavelmente o bichinho está estressado e quer aliviar a tensão de alguma forma.


4. Hiperatividade é um dos principais sintomas de estresse em cães

Cães estressados dificilmente têm comportamentos tranquilos. A longo prazo, para liberar energia, adotam postura destrutiva e não poupam nada que encontram pela frente.


5. Reações exageradas são sintomas de estresse em cães

Os cães estressados têm reações exageradas. Então se latem, latem muito. Se comem, comem muito. Se ficam felizes, ficam muito felizes.


6. Falta de atenção

O estresse em cachorros causa nervosismo generalizado. Isso faz com que tenham dificuldade em seguir ordens, comandos e prestar atenção.


7. Mudanças de comportamento

Fique atento na mudança de comportamento. Se era muito dócil e ficou agressivo, se era social e ficou tímido… Esses são sinais muito importantes.


8. Tentativas constantes de fuga

Passar por uma situação estressante pode fazer com que o animal fuja. Mesmo que tenha razão pouco aparente, é importante observar outros sintomas e ficar ainda mais atento para evitar escapadas. Afinal, cachorros que ficam na rua têm expectativa de vida menor pelos riscos de atropelamento e envenenamento.


Como reduzir sintomas de estresse em cães?

Caso observe esse tipo de comportamento no seu bichinho, procure profissionais. Educadores caninos e veterinários podem dar dicas de como acalmar e reduzir o estresse.

estresse em cães

Quase sempre, realizar pequenas mudanças na rotina podem fazer grandes mudanças. É importante:

· Passear mais vezes;

· Brincar mais;

· Faze-lo se sentir parte do ambiente;

· Evitar gritaria e discussões na presença do animal, pois se espelham no comportamento do tutor;

· Mudar o comportamento diante do cão é fundamental, atitude confiante era confiança e segurança no cão;

· Identificar as causas de estresse e medo do cão, isolar essas causas ou pessoas, como mudar de local onde faz o banho ou o banhista ou o horário com menos animais, mudar locais onde faz os passeios, organizar eventos onde o cão possa socializar, natação, trilhas, viagens em grupos, cuida do dono, cuida do cachorro.

LEIA TAMBÉM
TÁRTARO EM CÃES: COMO PREVENIR

CTA-Vitalecmv