Animais de estimação podem pegar coronavírus? E transmitir? - Vitale - Centro Médico Veterinário

Animais de estimação podem pegar coronavírus? E transmitir?

Donos de pets pelo mundo inteiro estão preocupados com a possibilidade do filho de quatro patas adoecer por conta do coronavírus. De acordo com a médica veterinária Antonella Chiaratti, do Centro Médico Veterinário Vitale, a probabilidade disso acontecer é mínima. “O comitê científico e de saúde única da WSAVA (Associação Mundial de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais) e a OMS (Organização Mundial da Saúde) não encontraram evidências de que cães e gatos possam ser infectados ou até mesmo transmitir covid-19”, disse.

A professora Helena Lage, da FZEA-USP (Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da Universidade de São Paulo) disse em entrevista que os vírus pertencentes à família coronavírus, normalmente, são limitados quanto à espécie em que circulam e uma infecção em domésticos só seria possível se ocorresse uma adaptação proteica para se ligar à célula de um hospedeiro diferente.  

Segundo Lage, o vírus com maior facilidade de infectar várias espécies de animais é o influenza. “O influenza possui oito segmentos de RNA. O coronavírus possui só uma fita. Quando o influenza infecta uma célula e um segundo vírus infecta essa mesma célula, eles trocam esses segmentos. O vírus da pandemia de 2009 [H1N1] circulava em aves, suínos e humanos”, lembrou.

Sendo assim, não é necessário utilizar máscara em animais ou perto de animais e a única recomendação é lavar as mãos com sabão para proteger contra outras bactérias.

A falta de informação está fazendo com que o número de animais abandonados aumente principalmente em países com maior número de casos. ”O pânico está fazendo com que as pessoas não pensem ou busquem informações. É importante reforçar que os animais são inocentes e que os métodos de prevenção se aplicam a humanos”, finalizou Antonella Chiaratti

CTA-Vitalecmv